quinta-feira, 12 de agosto de 2021

Covid 19:Mãe, pai e filho que recusaram vacina-se morreram no espaço de uma semana

 

Covid 19: Mãe, pai e filho que recusaram vacina-se morreram no espaço de uma semana.

Reprodução 


Francis Goncalves, filho de pai português, culpa a desinformação sobre as vacinas pela morte dos seus familiares, agora sepultados no cemitério do Alto de São João, em Lisboa. E apela às pessoas para se vacinarem

“Eles foram apanhados pela propaganda anti vacinas que circula por aí”, afirmou Francis Goncalves ao jornal digital Wales Online poucos dias após enterrar os seus pais e o seu irmão em Portugal.

Filho de pai português, o chefe de cozinha mudou-se com a família para Cardiff, no País de Gales, em 2015, com o objetivo de escapar à violência existente no seu país de origem, a África do Sul. Contudo, a mãe, o pai e o irmão optaram por viver em Portugal em 2016.

Quando foram contactados pelas autoridades de saúde portuguesas, nenhum dos seus familiares aceitou ser inoculado contra a Covid-19. “Eles não aproveitaram essa oportunidade porque tinham medo”, garantiu o britânico de 43 anos à BBC. Francis Goncalves acredita que a desinformação sobre a segurança das vacinas esteve na origem dessa decisão.

A mensagem que eu quero passar é: por que razão haveria o Governo de querer magoar alguém com uma vacina? Qual seria objetivo por trás disso? Já falei com imensas pessoas que estão aterrorizadas devido à vacina e isso custa vidas”, desabafou, citado pelo The Guardian.

“Sinto empatia por essas pessoas [que não querem imunizar-se], elas perguntam-se se estão a fazer a coisa certa. Mas isto vai prejudicar as nossas famílias. A propaganda tem de parar”, apelou.

Francis Goncalves acusa aqueles que disseminam informação falsa sobre a Covid-19 de se “alimentarem daqueles que têm medo e que caem na armadilha”.

Desencontros infelizes

O britânico acredita que o pai, Basil, 73 anos, terá contraído o vírus, no início de julho, numa visita ao hospital devido a pedras nos rins. Já a mãe, Charmagne, 65 anos, e o irmão, Shaul, 40 anos, terão sido contagiados num jantar de família posterior. Quinze dias depois dos primeiros sintomas, a família estaria desfeita.

Os seus pais tinham outras doenças associadas, mas o irmão era “a pessoa mais saudável” que já conheceu. Por isso, não tem dúvidas de que a vacina poderia ter salvado a vida do seu “melhor amigo”. O cansaço insuportável foi o primeiro sintoma de que algo não estava bem com Shaul.

Os seus pais tinham outras doenças associadas, mas o irmão era “a pessoa mais saudável” que já conheceu. Por isso, não tem dúvidas de que a vacina poderia ter salvado a vida do seu “melhor amigo”

Foram todos internados antes de conseguir chegar a Portugal, mas Francis Goncalves procurou manter uma ligação permanente com a família. Após o estado de saúde dos três se agravar, não foi fácil entrar em contacto com o hospital, visto não falar português. Acabou por contratar um advogado para o ajudar com as burocracias.

O pai e o irmão morreram enquanto o chefe de cozinha aguardava o resultado do teste de rastreio que lhe permitiria voar para Lisboa. Quando finalmente chegou, a mãe, que sofria de uma doença autoimune, já estava em coma induzido, mas ainda conseguiu despedir-se dela.

Os três morreram no espaço de uma semana: o irmão a 17 de julho, o pai a 20 e a mãe a 24. Foram sepultados em simultâneo, a 1 de agosto, no cemitério do Alto de São João, em Lisboa. “Disseram-me que, durante este tempo todo de pandemia, nunca tinham  recebido três corpos da mesma família ao mesmo tempo”, contou.

O britânico viu as suas esperanças de transladar os pais e o irmão para Cardiff estilhaçadas. “Perguntei se seria possível a exumação dos corpos numa data posterior e a mudança para algum lugar [do cemitério] fora da zona exclusiva de Covid, já que isso não representa a minha família. Mas disseram que, infelizmente, não sabendo o suficiente sobre a Covid-19, não há intenção de movê-los nunca. Foi terrível.”

Francis Goncalves decidiu partilhar a história trágica da sua família com o intuito de alertar as pessoas para os perigos da propaganda anti vacinas e com a esperança de incentivar os mais céticos a imunizarem-se contra a doença.

visão portugal

Fonte: nigthtpatos.com.br

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 Comments:

Postar um comentário