quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Suspeitos pela morte de Vice Miss Felipinas são soltos por falta de provas

Christine ao lado de jurados com a faixa de 1º runner-up (primeira vice-campeã, em português) do concurso Miss Silka Davao 2017.


                 Imagem: Reprodução/Facebook/Miss Silka Davao 2017 


A promotoria da cidade de Makati, nas Filipinas, ordenou a liberação de três suspeitos na morte de Chirtine Dacera, 23. A justificativa foi de que é preciso mais provas para determinar se o caso se trata de um estupro seguido de morte, segundo a CNN Filipinas. John Pascual Dela Serna III, 27, Rommel Galido, 29, e John Paul Halili, 25, foram libertados e a promotoria declarou que não há evidências de que Christine foi estuprada, como afirmou a polícia.

 Policiais levantaram acusações de estupro e homicídio contra os suspeitos uma vez que encontraram machucados, lacerações e fluidos no corpo de Christine. 

A autópsia constatou que a morte foi provocada por um aneurisma  e não identificou a presença de fluidos no corpo, em contradição com o chefe de polícia de Makati, o coronel Harold Depositar, que disse que havia sêmen na genitália da vítima. A promotoria recomendou mais investigações sobre os três homens que haviam sido detidos, assim como outros nove suspeitos, que são considerados foragidos, e também instruiu que a polícia entregue mais provas, como análise de DNA e exames toxicológicos e químicos.

O caso

Christine trabalhava como aeromoça da Philippines Airlines e foi encontrada desacordada dentro da banheira de um hotel no dia 1º

Imagem: Reprodução/Instagram/@xtinedacera


 Christine Dacera foi encontrada desacordada na banheira de um quarto do hotel City Garden nas Filipinas. Os amigos da comissária de bordo, que foi a vice-campeã do concurso Miss Silka Davao em 2017, a levaram ao hospital, onde a jovem foi declarada morta.

 A polícia suspeita que Christine tenha sido vítima de um estupro coletivo na virada do ano. Segundo a polícia, três dos suspeitos se diziam amigos da vítima. A polícia local informou que acusou 12 homens provisoriamente por estupro e homicídio de Christine.

 A acusação aponta que os suspeitos estavam em quartos adjacentes ao da aeromoça no momento da morte dela. O general Debold Sinas explicou que a polícia segue fazendo segue fazendo diligências para prender os foragidos. 


Família contesta causa da morte.

A família de Christine disse que acredita que mais sete indivíduos podem estar envolvidos na morte da aeromoça, que trabalhava na companhia aérea Philippines Airlines, e ainda contestam o resultado da autópsia que aponta aneurisma como a causa da morte da jovem.

 "Há pelo menos sete suspeitos não identificados que precisam ser presos, investigados e, se for o caso, devem ser processados", disse Brick Reyes, porta-voz da família de Christine. Brick apontou que esses sete homens também estavam em um quarto próximo ao da vítima.

 Além disso, o porta-voz contou que a família está cogitando entrar com uma ação contra o hotel. Os familiares da vítima também pediram outra autópsia depois que a certidão de óbito apontou que a vítima morreu em razão de um aneurisma. "Que tipo de autópsia é essa? Por que não especificou as outras lesões? Não está completo para nós. 

Talvez o aneurisma fosse uma causa próxima, mas também é muito possível que isso pudesse ter sido desencadeado pelo ataque a Christine antes de sua morte", acrescentou Brick.

fonte:https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2021/01/06/3-suspeitos-de-estupro-coletivo-e-morte-de-vice-miss-filipina-sao-liberados.htm

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 Comments:

Postar um comentário