sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Moda nos anos 1980, biquíni cavadão volta com tudo no verão 2018

 Cidinho Pereira aproveita e relembra criação do asa-delta
Por: Gilberto Junior
Nessas idas e vindas da moda, o biquíni cavadão, fundamento dos anos 1980, conseguiu novamente seu lugar ao sol. É o retorno triunfal da modelagem asa-delta e afins. No Brasil, grifes como Água de Coco e Triya investiram na tendência; lá fora, Versace e Baja East foram seduzidas pelo canto da sereia. Entre os novos criadores de beachwear, de Minas Gerais ao Canadá, esse shape é coqueluche. Definitivamente, é o verão das cavas.
— O asa-delta é um marco da década de 1980. Deixava a gente com um corpaço. Era revelador e dava uma sensação de liberdade — comenta a ex-modelo Magda Cotrofe, que ajudou Cidinho Pereira, da Bumbum Ipanema, a popularizar a ousada criação.

Triya, verão 2018 - Ze Takahashi / FOTOSITE

Cidinho é tido como o inventor do asa-delta — e do fio dental também. A ideia, ele diz, nasceu de observações nas praias californianas e cariocas. Um estudo de campo minucioso.
— Sempre procurei respeitar as curvas femininas. Lembro ter visto as meninas no Leblon amarrando o laço da calcinha na alça do sutiã para esticar a peça debaixo, alongando assim a silhueta. Facilitei as coisas, valorizando o que é bonito — conta o designer.

Monique Evans: biquíni cavadão nos anos 1980 - Hipólito Pereira

O regresso da modelagem tem a ver com o ciclo da indústria da moda, com o passado sendo revisitado e atualizado, acreditam muitos estilistas. Adrien Bettio, da marca canadense 437 Swimwear, destaca ainda a questão do empoderamento.
— É poderoso para a mulher escolher usar um biquíni assim. É uma demonstração de quem está no comando de seu corpo e no controle de como exibi-lo — explica Adrien, que toca a 437 Swimwear com sua melhor amiga, Hyla Nayeri.
Isabela Frugiuele, da Triya, avisa que o corte, que alcançou até os maiôs, é democrático:
— Veste bem qualquer pessoa. O asa-delta afina a cintura, além de dar a impressão de que as pernas são maiores.
Lara Montalvão, da etiqueta mineira Lara, justifica o sucesso das cavas:
— Vejo despertar nas mulheres a vontade de sentir mais livres, diferentes e bonitas. E, não há quem resista a uma mulher confiante.
A ex-modelo Monique Evans, musa absoluta do look, diz que usa até hoje biquínis nesse estilo:
— Não consigo me adaptar aos retos. Eles formam aquelas gordurinhas logo abaixo da cintura, o que é muito feio.

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário