sábado, 26 de setembro de 2015

"Verdades Secretas" chega ao fim com sucesso de audiência e redes sócias a novela do ano.

Com desfecho épico, "Verdades Secretas" já é a novela do ano da Globo

"Enfoque NT" analisa trajetória da novela que foi um sucesso de audiência e nas redes sociais


Por Thiago Forato

Fotos: Reprodução
Chegou ao fim nesta sexta-feira (25) a novela “Verdades Secretas”, escrita por Walcyr Carrasco para a faixa das 23h da Globo.

Numa atmosfera cercada de expectativa durante todo o dia nas redes sociais e pelo público em geral, como há muito não se via em um último capítulo, “Verdades Secretas” prova, antes de tudo, que basta uma boa novela para que o público dê a resposta ligando o televisor.

Aliado a um texto denso repleto de toda uma carga dramática, o diretor Mauro Mendonça Filho e sua equipe aguçada conseguiram desempenhar sua função com maestria de maneira irrefutável, com cenas antológicas e que já entraram para a história da televisão brasileira.



Apesar do mistério acerca de “Verdades Secretas”, vários finais exibidos foram aqueles mesmos vazados há praticamente um mês e, para quem acompanha diariamente os sites especializados em televisão, não teve grandes surpresas com os desfechos propriamente ditos, mas certamente ficaram boquiabertos com atuações de tirar o fôlego.



Triângulo

O tão aguardado desfecho de Carolina (Drica Moraes) foi como se esperava. Walcyr se mostrou coerente e ela ter tirado a própria vida, ainda que muita gente tenha torcido o nariz, é perfeitamente compreensível. Afinal, descobrir que sua filha e o homem que amava tinham um caso, pegá-los na cama e ainda ver sua filha entrando na frente de Alex (Rodrigo Lombardi) para protegê-lo de um possível disparo, é de deixar qualquer um sem norte. De fato, não havia outra saída para a personagem.


Surpreendendo a muitos, as tragédias não pararam por aí. Como forma de vingar a morte da mãe, Angel (Camila Queiroz) teve o sangue frio de arquitetar o assassinato de Alex num iate em alto-mar e inventando uma história de que ele teria se acidentado. Numa sequência “embasbacante”, Camila Queiroz não parecia uma novata. Teve segurança, e uma atriz que no começo era uma promessa, já não é exagero dizer que se tornou realidade. Talento, como notamos, transbordou.

Embora ela seja uma das culpadas diretas pela morte da mãe, já que a traiu, terminou com um final feliz, casando com Gui (Gabriel Leone). É até, do ponto de vista moral, muito difícil de aceitar, de certa forma, um desfecho positivo para a personagem, mas nada que tire o telespectador do eixo a ponto de se indignar, já que outros tiveram finais coerentes e coesos com a construção da trama.

O que deve ser lamentado é que Carolina morreu sem saber de muita coisa: morreu acreditando que Fanny era uma “santa” e não soube que a filha fazia book rosa, frustrando a muitos telespectadores.



A tese de que só se cura a perda de um grande amor com outro nunca fez tanto sentido. Após Anthony (Reynaldo Gianecchini) partir rumo à Paris com Giovanna (Agatha Moreira) e Maurice (Fernando Eiras), num final estupendo, tendo aquilo que eles sempre tinham sonhado, Fanny (Marieta Severo) ficou desolada e foi “presenteada” por Visky (Rainer Cadete) com o homem que ele amou por toda a trama: Léo (Raphael Sander). Ninguém ficou triste.


Duas cenas do último capítulo que merecem ser destacadas é a de Larissa (Grazi Massafera) distribuindo sanduíches na cracolândia e dando de cara com quem a levou para lá: Roy (Flávio Tolezani) e sofrendo um baque. Aliás, este espaço foi um dos primeiros a salientar a evolução de Grazi como atriz dentro de “Verdades Secretas” e a colocá-la no hall de uma das melhores desta geração. O ator também foi muito bem.


A segunda foi com Hilda (Ana Lúcia Torres) agonizando nos braços de Oswaldo (Genézio de Barros). Ele sempre sonhou com isso. E embora o amor dos dois tenha durado pouco, serve até como reflexão a revelação de um amor feito “tardiamente” envolvendo outras questões.


Sem futilidade

Pia (Guilhermina Guingle) resolveu acordar para o mundo real e enxergar que estava envolta num mundo de luxos sem a menor necessidade e resolveu ceder, dizendo seu desejo de ter um filho com Igor (Adriano Toloza).

Walcyr Carrasco se reinventou

Sua última trama, “Amor à Vida” (2013), foi alvo de críticas, mas mesmo assim Walcyr já tinha dado um final digno à ela, repetindo agora a dose com mais brilho em “Verdades Secretas”, conseguindo envolver os telespectadores e mobilizá-los, deixando-os ansiosos para ver um último capítulo de telenovela. Nos dias de hoje, algo raro e que deve ser muito creditado ao autor.


Sem pastelão, com uma temática adulta, tratando de temas pertinentes para a sociedade e servindo até como alerta, “Verdades Secretas” entra na história da teledramaturgia e nesses 50 anos da Globo pode ser reverenciada como a melhor apresentada em 2015.

E que venha sua próxima produção, “Candinho”.
 
Thiago Forato é jornalista, escreve sobre televisão há dez anos e assina a coluna Enfoque NT há quatro, além de matérias e reportagens especiais no NaTelinha. Converse com ele: thiagoforato@natelinha.com.br  |  Twitter: @tforatto



←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário