sábado, 29 de agosto de 2015

Maria Bethânia 50 anos de carreira



No TCA, Bethânia 'abraça e agradece' ao público pelos 50 anos de carreira

Apresentação aconteceu na noite desta sexta-feira (28), em Salvador.
Artista reuniu mais de 1.500 pessoas no 1º dia de show na capital baiana.

Foonte:G1

 Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)

 Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana / G1)

Cinquenta anos e seis meses após estreia no palco do Teatro Opinião, no Rio de Janeiro, a cantora Maria Bethânia voltou à Bahia para "Abraçar e Agradecer". Foi ela, entretanto, quem saiu do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador, com o aconchego de mais de 1.500 pessoas que lotaram o espaço na noite desta sexta-feira (28). Um público sortudo, que, em menos de duas horas, conseguiu ingressos para os shows da artista na capital. Neste sábado (29), ela volta aos palcos para a segunda apresentação da turnê que celebra cinco décadas de uma carreira oficialmente iniciada em 13 de fevereiro de 1965.
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Maria Bethânia completou 50 anos de carreira
(Foto: Egi Santana / G1)
Em apenas uma noite, foram dezenas de Bethânia em uma só. "Dona do Dom" levou para o palco composições de Caetano Veloso, Chico César, Raul Seixas, Dominguinhos, Nando do Cordel, Arnaldo Antunes, Dorival Caymmi, Antônio Carlos Jobim, Luiz Gonzaga e Roberto Carlos. Para cada canção, uma interpretação. Aliada à voz e à performance, um cenário de imagens dinâmicas literalmente colocadas aos pés da artista.
Uma espécie de "tablado digital"  - com cenário de LED em uma pequena rampa -, fez a cantora andar sobre um céu estrelado na canção "Nossos Momentos", de Caetano Veloso (1982). Ao interpretar "Alegria", de Arnaldo Antunes (1995), pisou sobre as rosas. No "Meu Amor é Marinheiro", parecia flutuar sobre o mar. A cenografia foi assinada por Bia Lessa. Num cenário singelo, a luz parecia ser a extensão da artista: horizontalizada, verticalizada, angulada, azul, vermelha, multifacetada. Havia uma harmonia entre a cantora e o espaço.
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Bethânia completou em 2015 69 anos de idade
(Foto: Egi Santana / G1)
O show começou às 21h10. Animada, Maria Bethânia entrou no palco correndo, disposta. Por meio da canção "Eterno em Mim", deu boas vindas ao público. "Em mim o eterno é musica e amor", parafraseou. Em seguida, entregou aos fãs a "Dona do Dom". Entregou-se. "Chegar para agradecer e louvar", define a inspiração da noite. A coordenação e produção musical foram de Guto Graça Melo.
O espetáculo foi dividido em dois atos. A performance, como sempre, forte e poética. Cantou canções como "Gita", de Raul Seixas (1974); “A Tua Presença Morena", de Caetano Veloso (1971); “Gostoso Demais”, de Dominguinhos e Nando Cordel (1986); e “Bela Mocidade”, de Donalto Alves e Fracisco Naiva (1997). Após cantar "Todos os Lugares", de Sueli Costa e Titi de Lemos (1996),  recitou com firmeza os versos de Clarice Lispector. "Tu olhas pra ti e te amas. É o que está certo".
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Com interpretações marcantes, artista reuniu mais
de 1.500 pessoas (Foto: Egi Santana / G1)
No segundo ato, de vestido dourado mesclado com tons vermelhos, fez uma oração por meio da música "Oração de Mãe Menininha", composição de Dorival Caymmi (1972). Aplausos marcavam o término de cada canção. Também houve espaço para "Agradecer e Abraçar", de Gerônimo e Vevé Calazans (1999); "Mãe Maria", de Custódio Mesquita e David Nasser (1943); e “Xavante”, de Chico César (2014). Ao levar para o público a canção "Povos do Brasil", de Leandro Fregonesi (2014), fez uma homenagem às diversas tribos do país.
Embalada, Bethânia levantou os fãs, literalmente, com a canção "Non, Je Ne Regrette Rien", de Charles Dumont e Michael Vaucaire (1956).  Foi uma interpretação implacável, de uma mulher que seguia uma estrada, simbolizada no LED, mas que refletia a bravura de uma cantora com quase sete décadas de vida.
O show contou com mais de 30 canções, em quase duas horas de apresentação. Ao final, presenteando o público que correu para frente do palco, embalou sucessos como "Reconvexo", de Caetano Veloso, e "O que é, o que é?", de Gonzaguinha. Nas mãos, o público segurava a faixa "Parabéns, Bethânia". Em retribuição, "abraçou, louvou e agradeceu" em gesto e música. O que faz há 50 anos.
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Artista apresentou interpretações marcantes em Salvador (Foto: Egi Santana / G1)
  •  
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Além das canções, luz teve destaque na apresentação  (Foto: Egi Santana)
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Cantora completou 69 anos em 2015 (Foto: Egi Santana / G1)
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Maria Bethânia durante show no TCA, em Salvador  (Foto: Egi Santana / G1)
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Com rampa de LED, Bethânia andou sobre céu estrelado (Foto: Egi Santana / G1)
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Título da turnê é 'Abraçar e Agradecer' (Foto: Egi Santana / G1)
Artista se apresentou na noite desta sexta (28), no Teatro Castro Alves. (Foto: Egi Santana)Show de Bethânia durou quase duas horas

 

 


←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário